Menu

Vegetarianismo

Eu disse que voltaria a falar no assunto e na evolução da minha Reeducação Alimentar e aqui estou eu! Será um post longo mas prometo que bem realista, sincero e explicativo.

Como falei neste post aqui e neste aqui, procurei acompanhamento com minha nutricionista quando me tornei vegetariana para repor as vitaminas da carne. Depois de vários exames, descobri que em pouco tempo poderia desenvolver diabetes e que em pouco tempo poderia ter problemas sérios de saúde uma vez que meu pâncreas trabalhava 140 vezes a mais que sua capacidade para produzir a insulina necessária para barrar tamanha quantidade de açúcar que eu ingeria... Açúcar este na sua maioria vindo de carboidratos refinados e não somente de doces.

Começamos então uma restrição de desintoxicação ao açúcar dos carboidratos refinados, ao açúcar do leite (a famosa lactose), doces (guloseimas e refrigerantes) e, de quebra, cortamos o glúten.

Para a perda de peso não tem nada melhor que zero açúcar e zero glúten mas o mais importante desta história toda é o aprendizado diário que temos com nosso corpo e saúde. Aprendi a combinar os diferentes tipos de nutrientes necessários para a saúde, variar os alimentos e iniciei uma jornada de alimentação saudável que nunca antes imaginaria que seria possível.

Sempre gostei muito de cozinhar e mais ainda de comer, mas alimentação saudável para mim era comer salada e só! Hoje como comida de verdade, uma refeição completa com legumes e verduras na sua maioria orgânicos livres de agrotóxicos (um veneno para nossa saúde!), não passo fome pois faço 8 refeições por dia para acelerar o metabolismo e às vésperas de completar meus 30 anos nunca me senti tão bem e saudável...

Que fique claro, a perda de peso é uma consequência e não o foco deste post, mas deixe-me explicar os últimos 6 anos de aumento e perda de peso...

Desde que eu me conheço por gente sempre pesei entre 49 e 52 kg... Era magra pra chuchu, odiava não ter muito corpo, com 20 anos lembro de me matricular por três meses em uma academia e frenquentar só um! Tinha uma alimentação saudável mas não a ponto de conhecer os alimentos glúten e lac free. Comia de tudo, como se não houvesse amanhã e como se a conta nunca fosse chegar. Tinha vinte e poucos anos, trabalhava de 10 a 12 horas por dia e tinha um metabolismo hiper acelerado! Mas um dia as coisas começaram a mudar e a verdade é que a gente não consegue saber quando a combinação vida sedentária x má alimentação deixou de dar certo...

Com 24 anos em 2009 pesava 56 kg, parei de fumar, deixei a carreira de RH na empresa e comecei a trabalhar em casa... Foi quando vi os números da balança aumentarem na medida que minha alimentação se tornava cada vez mais industrializada e cheia de fast foods. Eu me sentia bem com o corpo mas a saúde mostrava o contrário, glicose e colesterol sempre em observação, muito açúcar (lembre-se que falo também em refinados como massas, lazanhas, derivados de leite), frituras, refrigerante, e toda essa combinação junta em jantares cada vez mais calóricos e tardes.

Quando viemos morar na praia e nos casamos em 2011 eu já pesava 66 kg! Aquele peso todo me encomodava, as roupas diminuíam e eu não me reconhecia mais nas fotos, a saúde estava sempre em alerta fazendo exames periódicos para controlar a glicose, o colesterol e uma forte rinite que mais tarde fui descobrir que muito tem a ver com a ingestão exagerada da proteína do leite encontrada em tudo que é feito de leite ou que pode conter “traços de leite”: Requeijão, queijos, creme de leite, massas, bolachas... E mal eu sabia que o exame correto a ser feito era o de insulina e não só glicose para saber o quanto essa insulina estava sendo produzida para barrar essa glicose toda da minha corrente sangüinea...

De 2013 para 2014 começamos a adestrar nossos cães o que nos fez ter uma rotina de passeios diários com eles e neste período eu consegui perder 6 kg ficando então com 60 kg ao longo deste um ano, mas reparem que eu não mudei a alimentação nestes um ano. Continuava comendo a gordurama e açúcar de sempre e caminhava feito doida pelo menos 2 horas por dia por 3 vezes na semana. Ao final de cada passeio me sentia exausta e dava graças à Deus de ter acabado!

Em Agosto de 2014, há 5 meses atrás pesava então meus 60 kg e me achava super saudável, intercalava caminhadas e corridas com os cães 3 vezes por semana, surfava uma vez lá que outra, me alimentava mal pra caramba e foi aí que eu conheci a minha nutricionista amada que me mostrou que é possível ser mais saudável com atividade física de 3 a 5 vezes por semana (3 dias por semana a caminhada/corrida e 2 dias por semana o pilates que tem me ajudado muito na respiração, disposição, dores na coluna e postura) mas que o principal estava na alimentação e aí foi só alegria porque tudo o que eu não queria era ter que passar horas em academia, musculação, esteira... Olha, me chama pra qualquer coisa menos ter que correr em esteira. Please! Não que eu nunca faça caso precise mas enquanto puder evitar eu farei!

E então, desde Agosto de 2014 quando iniciei a R.A. e aprendi um pouco mais sobre nutrição, combinação de nutrientes, vitaminas e alimentação saudável, em 5 meses perdi 8 kg sem passar vontade (e quantas jacadas eu cometo!) ou fome e hoje, às vésperas dos meus 30 anos estou de volta aos meus antigos 52 kg, muito mais saudável, mais bem disposta que há 10 anos atrás, com a saúde ok, treinando sem aquele cansaço pós-treino que era habitual, com a alto estima lá em cima e pronta para mais trinta!

Mas toda a explicação aí acima foi para dizer que a alimentação saudável é fundamental e necessária para a boa saúde e boa forma, não tem jeito. E que pode sim, aliada a prática de atividade física 3x por semana ser a melhor combinação para saúde. É loucura gastar com anos de academia para perder peso e ao mesmo tempo continuar comendo só 3 ou 4x por dia, ter perda de energia, fazendo com que o metabolismo se arraste e  você tenha mais fome ainda descontando no carboidrato da janta por exemplo... Tendo que malhar e malhar para continuar deixando o peso controlado! Ou então tomar variações de sucos detox durante o dia todo achando que ele fará um verdadeiro milagre celular e comer torresmo com macarrão a carbonara no jantar, o que vai fazer você continuar com a saúde péssima mas ainda confiante em que milagres podem existir!

Lembre-se, não é pelo peso ou estética que estou aqui expondo algo tão particular mas sim querendo alertar quem me lê na busca por alimentação e vida saudável como um todo. A estética será uma consequência do processo todo. Li uma vez e acredito muito no ditado: “Faça do alimento sua medicina”, por isso quero dividir com vocês algumas das principais melhorias sentidas durante este processo de desintoxicação e alimentação saudável.

O que melhorou depois da R.A.:

- Desintoxicação alimentar: Não há mais aquela vontade descontrolada de doces, refrigerantes ou carboidratos;
- Variedade de alimentos;
- Aumento do paladar;
- Menos embalagens e mais cascas;
- Atividade física pelo menos 4x por semana;
- Maior fôlego e melhoria da respiração;
- Diminuição drástica da gordura corporal;
- Diminuição de medidas em geral;
- Maior ingestão de nutrientes indispensáveis para a reposição celular diária;
- Perda de peso;
- Diminuição de alergias como rinite e outras;
- Regularização do intestino e ciclo menstrual entre diversas outras coisas;

Ok mas então o que na verdade eu como? Comida de verdade! Arroz, feijão, peixe e frutos do mar, salada, legumes e frutas, pouquíssimos produtos industrializados como pães, bolos e biscoitos sempre glúten free e lac free, café com leite lac free muito de vez em quando dando preferência sempre para sucos naturais, muuuuitas frutas (pelo menos 4 porções ao dia), sucos integrais, muita água, receitas de preparos fit, de vez em quando um chocolatinho glúten e lac free hehehe e sempre dando preferência aos alimentos que ao menos não tenham glúten...

Já no 4º mês da Reeducação Alimentar consegui alcançar todos os resultados que desejava lá no comecinho e agora é só manter o que conquistamos e continuar com a alimentação cada vez mais saudável!

Mas eu ainda como, não com a mesma frequência diária de antes e sim muito de vez em quando, alimentos com glúten e açucar a noite. E por que não? Sou regrada durante dias a fio e um dia ou outro me permito mas porque sei que agora posso e se exagero, as consequências são sentidas horas depois e o mal estar dura dias... Acabei de passar por uma intoxicação alimentar das brabas no natal e ando bem reciosa porque a coisa foi bem séria. Quem já teve sabe do que estou falando, é uma sensação tão horrorosa de dias por causa de uma hora de comilança exagerada num estômago completamente desintoxicado e que hoje em dia já não me fazem mais feliz, bem pelo contrário, me faz um mal danado :(

Minha R.A. é baseada especificamente nos resultados dos meus exames, minha nutri elaborou um plano alimentar direcionado para as minhas necessidades e rotina, por isso meu conselho é: Antes de se matricular numa academia ou começar aquela aula milagrosa que promete perder mil calorias por minuto e continuar comendo errado, procure uma nutricionista qualificada, comece por indicações dos pacientes que você conheça. Comece procurando a saúde de dentro pra fora e alguém em que você possa confiar para lhe mostrar o caminho.

Não desista, vá atrás e lembre-se: Daqui há um ano você desejará ter começado hoje... Os resultados de uma vida mais saudável, cheia de disposição e mais feliz são recompesadores, mexa-se!

E eu aindo volto contando mais, com dicas e outras receitinhas fit!

Até o próximo :*

Como falei neste post aqui, há dois meses parei de comer carne e por isso, precisei procurar uma nutricionista para aprender a suprir estes nutrientes. E gente, fiquei impressionada com a quantidade de alimentos ricos em vários nutrientes que eu nunca havia pensado em ingerir e que estão me fazendo muito bem.

Ao fazer todos os exames necessários para começar a minha R.A. (Reeducação Alimentar), tomei um susto quando foi detectado um problema sério de insulina que tenho e que nunca havia sido investigado antes. Além disso, meu colesterol ruim precisa ser observado porque está bem alto e para avaliarmos dentro de um período x, estou restringindo o glúten e a lactose (tenho muita rinite e decidimos restringí-la para saber se há alguma ligação à ingestão de leite). Enfim, daí você me pergunta: Ok! Mas o post não era sobre um tal suco verde? Por que toda essa explicação tão pessoal?

Por que acredito que compartilhando minha experiência (tomei um susto quando minha nutri disse que meu pâncreas estava trabalhando 140 vezes mais do que deveria normalmente e que em pouco tempo eu poderia desenvolver diabetes!), posso estar alertando mais pessoas com este tipo de cuidado à nossa saúde e a tudo aquilo que escolhemos ingerir.

Então, com minha R.A. em mãos, sai atrás de todo o tipo de alimento mais saudável sugerido (achei que seria bem mais difícil encontrar alimentos sem glúten e traços de leite mas não é não, eles ainda são bem mais caros, mas é a tal lei da oferta e procura...) e estou adorando minha nova vida mais leve sem carne, sem glúten e sem lactose, isso que eu como muito e o dia todo, porém agora são alimentos muito mais saudáveis e sem culpa alguma! Ainda é cedo para avaliar, estou apenas nas duas primeiras semanas efetivas de R.A. mas posso dizer que já me sinto bem mais disposta e feliz com os resultados já sentidos pelo organismo com a nova alimentação. Sempre amei cozinhar e nesta nova fase não seria diferente. Estou adorando experimentar novos sabores, novos temperos, fazer experiências e quero mostrar algumas delas por aqui.

Para começar quero compartilhar aqui uma receitinha ótima passada pela minha nutri (o contato dela está lá no final do post, recomendo muito!) de suco detox que pode ser tomado como desjejum rico em fibras e desintoxicante:

Suco detox

1 folha grande de couve
2 fatias de abacaxi
1 pedaço pequeno de gengibre
1 fatia da batata yacon (encontrada em grandes supermercados)
1 colher rasa de semente de chia hidratada (deixe-a hidratando em água meia hora antes de utilizá-la)
1 copo de água mineral (gelada fica ainda melhor!)

Bata tudo no liquidificador por 1 ou 2 minutos e está pronto, refrescante e cheio de fibras e nutrientes importantes! 

Quem fizer me conta depois o que achou, ok?! Ando testando também fazer bolos sem glúten e lactose. Quando der certo, dou a receita aqui!

Até o próximo Na Cozinha :*

Nutricionista: Gabriela Ambrósio Zanoni
Fanpage: Facebook.com/gabriela.nutricionista

Há muitos anos venho repensando sobre minha alimentação e a escolha que não temos desde pequenos em consumir carnes ou não. E então, aqui em casa há alguns meses optamos por diminuir drasticamente a carne vermelha e branca de aves do cardápio da semana, até que ficássemos somente com o churrasco do final de semana e foi assim que eu fui perdendo o apetite e me livrando do consumo.

Muitas pessoas param de comer carne por problemas digestivos, mas no meu caso é e está sendo diferente. Não me acho superior a ninguém por ter chegado a essa conclusão, mas ao mesmo tempo, não sei como não fiz isso antes! Quando saímos de Porto Alegre/RS e viemos morar em Garopaba/SC, tratando-se de uma praia do interior com uma grande zona rural, me chamou atenção a grande quantidade de criadores independentes de gado para consumo próprio que existia na região e que, os deixavam e ainda os deixam, em qualquer pasto de terreno aberto... Esse hábito acabou me aproximando destes bichos que eu nunca tinha visto assim tão de perto, e que encontramos facilmente durante nossos passeios diários com os nossos dogs. Apesar do imenso tamanho e extinto selvagem, a sensibilidade e o medo estampado no olhar destes bichos é algo que me impressionou muito. E daí, os observando comecei a repensar toda a crueldade que acontece em abatedouros e nos frigoríficos e decidi que não consumiria mais algo que até chegar em nossa mesa sofria tanto e por isso, não é possível que faça bem a nossa saúde. Gente, pode ser o relato mais bobo que já tenham lido, mas foi bem assim que aconteceu, me dói pensar em todo o horror que estes bichos sofrem para servir de alimento ao homem, enfim...

Para quem está pensando em também parar, é importante saber que encontrará caras de espanto e discursos prontos por aí, como:

- Mas minha filha, o que tu come agora então?!...

Como se a dieta de uma pessoa se resumisse a churrasco dia e noite! Ou ainda, minutos antes de se sentar à mesa, dar a notícia e ouvir do melhor churrasqueiro do mundo:

- Bah, não come mais carne é? Mas por quê? E agora? :(

Come se fosse uma lástima terrível! Por isso, se vai a um churrasco e não sabe se terá acompanhamento, faça como eu: Leve o seu próprio queijinho para assar e não desmereça o trabalho do assador! :)

A decisão fica ainda mais difícil sem o incentivo da família, e no meu caso, até que está sendo bem tranquilo e Fabiano (o marido) me entende e apoia na decisão que tomei, tanto que até entrou na onda durante a semana, mas eu sigo pra sempre firme e forte todos os dias sem carnes vermelhas e aves. Por enquanto ainda quero continuar consumindo peixes e frutos do mar, mas leite e ovos industrializados serão os próximos itens a serem abolidos do cardápio.

A tarefa não é das mais fáceis mas foi acontecendo naturalmente sabe? Primeiro comecei a deixar de comer os embutidos: Salsichas , salames, salsichão, patês, hambúrguer (gente, quem tiver estômago, procura no youtube um vídeo de como são processados estes alimentos embutidos, um nojo só!), depois parei de comer presunto e as aves, e daí pra carne foi super fácil e já tem um mês que parei total. E então eu descobri a soja e a quinoa beeem temperadas e foi amor à primeira garfada!

Agora vem o segundo e mais importante passo: Encontrar uma nutricionista que me ajude a suprir na dieta os nutrientes necessários para diminuir a incidência de anemia porque, mesmo sendo um tanto quanto ‘fortinha’, tenho anemia facilmente e essa é uma das causas de eu nunca conseguir doar sangue e maior preocupação da minha mãe nesta minha nova fase vegetariana...

Outra coisa que fica mais chatinha é na hora de escolher o cardápio da semana, para quem trabalha home office esta é uma organização do tipo “tem-que-ter” e por isso, é preciso planejamento para ter opções saudáveis, criativas (sim porque até ontem todos os pratos derivavam de alguma carne) e ao mesmo tempo que sacie porque não quero ser aquele tipo de vegetariano que só come verduras e legumes ou passar a comer só produtos integrais... Aí não, né?!

A medida que eu for aprendendo um pouco mais sobre essa nova cozinha vegetariana ou ainda piscitariana (quem não come carne mais ingere peixes e por isso ainda não é considerado vegetariano), vou falando aqui e dividindo tudo com vocês.

Quem tiver indicação de nutricionista, me conta aqui nos comentários ou escreve para o contato@blog1855.com.br vou adorar!

Até o próximo post com mais novidades! :*

Subscrever Vegetarianismo